O Centenário de Luiz Beltrão e as novas conquistas da Rede Folkcom

Cristina Schmidt, primeira presidenta, homenageou os 20 anos de fundação da Rede Folkcom, na Jornada Beltraniana, durante o congresso da Intercom, em Joinville/SC. | Foto: Flávio Santana

O ano de 2018 foi marcado pelo centenário do pernambucano Luiz Beltrão de Andrade Lima (1918-1986), pioneiro nas Ciências da Comunicação, com a criação da teoria da Folkcomunicação, se tornando o primeiro doutor em Comunicação no Brasil. Os diversos momentos vivenciados pelos pesquisadores da Rede de Estudos e Pesquisa em Folkcomunicação (Rede Folkcom) não só celebraram os cem anos de Beltrão, como também realçaram, ainda mais, os avanços teóricos e metodológicos alcançados pela disciplina e os 20 anos de fundação da rede de pesquisadores.

Sucesso na XIX Conferência de Folkcomunicação em Parintins/AM

Mesa de discussão sobre o futuro da Folkcomunicação, durante a Folkcom 2018, em Parintins/AM. Na foto, Severino Lucena, Allan Rodrigues, Luitgarde Cavalcanti e Osvaldo Trigueiro. | Foto: Glenda Dinely

A XIX Conferência Brasileira de Folkcomunicação, que aconteceu em Parintins/AM, em junho de 2018, se destacou pelo alto número de trabalhos submetidos por pesquisadores de todo o país. O professor Dr. Allan Rodrigues, coordenador geral do evento, enfatizou a surpreendente participação dos inscritos. “Nós realizamos um evento em uma ilha localizada na Amazônia com todas as dificuldades logísticas que se pode pensar para se chegar lá. Boa parte das pessoas vão de barco para chegar em Parintins e, mesmo assim, o congresso alcançou 97 trabalhos já publicados nos anais do evento e que foram apresentados em 14 sessões dos GTs”, conta.

De acordo com a atual presidenta, a professora Dra. Eliane Mergulhão, o momento não só celebrou o centenário de Luiz Beltrão, como também o desenvolvimento de uma ciência genuinamente brasileira: “Na verdade, isso prova que a Folkcomunicação está se expandindo, até mesmo pelos novos cientistas que estão fazendo parte da nossa Rede, nós percebemos uma grande evolução que, graças ao professor Marques de Melo, propagador dessa ciência, hoje, nós discípulos, estamos divulgando, trazendo e agregando novos pesquisadores”.

Conferência no Maranhão, em 2020

A vigésima conferência, promovida pela Rede Folkcom, acontecerá na Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em São Luís/MA, em junho de 2020. O professor da UFMA e coordenador local do evento, Dr. Protásio Santos, reafirma que é uma honra, mas também uma grande responsabilidade sediar um evento que se reveste de importância fundamental para a valorização da cultura e da comunicação popular. “A Conferência oportuniza-nos reverenciar e revisitar os fundadores da Folkcomunicação, bem como conhecer e/ou reconhecer os continuadores e os novos pesquisadores desta corrente de pesquisa”, comenta.

São Luís é berço de muitas manifestações folclóricas e os meios informais de comunicação são instâncias mediadoras destas manifestações entre diferentes segmentos sociais. Isso contribui para a construção da própria identidade do maranhense que, segundo Protásio, sem dúvida, é enriquecida com as discussões a partir da teoria beltraniana.

“Considero, portanto, que a presença de pesquisadores da Folkcomunicação e de áreas afins, em nosso estado, discutindo narrativas, ritos, saberes e multiculturalismos/interculturalidades, permitirá a atualização de objetos e abordagens de pesquisa, potencializando o desenvolvimento do campo da comunicação e da cultura num estado reconhecido no Brasil e no mundo por sua riqueza e sua diversidade cultural”.

A Rede Folkcom no Congresso Brasileiro da Intercom

Guilherme Fernandes, Vice-presidente da Rede Folkcom e Ana Maria Fadul, integrante do conselho curador da Intercom, durante a Jornada Beltraniana. | Foto: Comissão organizadora

A Rede Folkcom alcançou destaque, também, no 41ª Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, promovido pela Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom), ocorrido em setembro na cidade de Joinville/SC. A programação com debates e apresentação de trabalhos incluiu as atividades do Grupo de Pesquisa (GP) Folkcomunicação Mídia e Interculturalidade e a Jornada Beltraniana 2018 que, desde 2010, costuma acontecer dia 08 de agosto para celebrar o aniversário de Luiz Beltrão. Dessa vez, devido ao centenário do criador da Folkcomunicação e das homenagens ao professor José Marques de Melo, idealizador do evento, a Jornada foi dividida em dois momentos.

Grupo de Pesquisa (GP) Folkcomunicação, Mídia e Interculturalidade, em Joiville/SC. | Foto: Maria Érica de Oliveira Lima

É importante destacar, também, que as pesquisas em Folkcomunicação não se limitam apenas ao GP. Estudantes da graduação também vêm produzindo pesquisas para o Intercom Júnior, evento destinado a alunos da Comunicação envolvidos na Iniciação Científica. Além disso, todos os anos, dentro da programação de oficinas e minicursos dos congressos regionais e nacionais, há espaço destinado aos estudos folkcomunicacionais.

Além das conferências, a Rede Folkcom vem promovendo seminários regionais e atividades de pesquisa em diversas universidades do País. Os trabalhos resultantes desses eventos e as atividades desenvolvidas pelos pesquisadores são divulgados na Revista Internacional de Folkcomunicação (RIF); no Grupo de Pesquisa (GP) Folkcomunicação, Mídia e Interculturalidade, da Intercom; no Grupo de Trabalho (GT) Comunicação Intercultural e Folkcomunicação do Congresso da ALAIC e na Divisão Temática (DT) Folkcomunicação do Congresso IBERCOM.

Encontro científico em Bogotá, Colômbia

Para 2019, a Rede Folkcom prepara grandes novidades. A presidenta da Rede Folkcom, Dra. Eliane Mergulhão, confirmou, em outubro passado, a realização de um encontro científico de Folkcomunicação durante a programação do Congresso Iberoamericano de Comunicação (IBERCOM), este ano, na Colômbia. Além disso, mais uma jornada beltraniana acontecerá em agosto e os pesquisadores já se preparam para o período de submissão de trabalhos aos eventos promovidos pela Intercom.

A Revista Internacional de Folkcomunicação

RIF v. 16, n. 37 (2018)

Um outro meio de grande destaque é a Revista Internacional de Folkcomunicação (RIF), periódico semestral que traz trabalhos, reflexões e pesquisas em torno da folkcomunicação. Editada pela Rede Folkcom, em parceria com a Agência de Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG/PR), desde 2003, a RIF enfoca aspectos interdisciplinares, propostas e estratégias metodológicas de estudos afins ou resultados de investigações folkcomunicacionais.

Em dezembro de 2018, o periódico publicou um dossiê temático sobre o centenário de Luiz Beltrão, reunindo trabalhos relacionados à sua obra, apontando (re)leituras dos conceitos que fundamentam a teoria e diálogos com objetos teóricos e metodológicos a partir da perspectiva folkcomunicacional A edição trouxe ainda, como parte das homenagens ao centenário, uma entrevista com a filha do criador da Folkcomunicação, Sílvia Teresa Beltrão.

José Marques de Melo e os avanços nas pesquisas em Folkcomunicação

O resgate do legado beltraniano conquistou espaço, inicialmente, durante as discussões realizadas no Seminário Internacional sobre as Identidades Culturais Latino-americanas, promovido pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP), em 1995, como evento preparatório para a instalação da Cátedra UNESCO de Comunicação naquela universidade. Através do catedrático José Marques de Melo, principal seguidor de Luiz Beltrão, as pesquisas em Folkcomunicação foram disseminadas dentro e fora do Brasil, chamando a atenção, cada vez mais, de novos pesquisadores.

Agora, sem a presença da importante figura do professor, a Rede Folkcom tem a difícil tarefa de suprir essa falta e efetivar, ainda mais, seu crescimento. “Os planos para o futuro é continuar organizando os eventos, agregando mais pesquisadores e projetarmos mais trabalhos, afinal, nós temos a obrigação de nunca deixarmos de trabalhar para que a Rede Folkcom sempre esteja viva, ainda mais agora com a ausência do professor Marques”, conta Eliane.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *