Folkcom 2018 inicia com debate sobre contexto social e cultural contemporâneo da Amazônia

A movimentação na Universidade Federal do Amazonas (UFAM) em Parintins na Conferência Nacional de Folkcomunicação foi intensa nesta manhã (25). Com o tema “Folkcomunicação, Ancestralidade e Desenvolvimento Local”, o primeiro dia do evento reuniu uma programação diversificada entre conferências, oficinas, palestras e atrações culturais.

Prezando por sua temática central, a programação foi iniciada por um debate com a finalidade de discutir sobre o contexto social e cultural da Amazônia na contemporaneidade, já que as riquezas culturais da região foram fatores importantíssimos para fortalecer os entendimentos da Folkcomunicação.

Foto: Glenda Dinely

A professora do Programa de Pós-graduação em Serviço Social da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) Iraildes Caldas Torres, fez uma abordagem sobre a formação social amazônica, tema que segundo ela não é muito discutido no meio acadêmico. De acordo com a professora, uma visão naturalista da Amazônia, que dá uma atenção exagerada a natureza e desvaloriza os seres humanos, foi perdurada por muitos anos e ainda traz reflexos à sociedade contemporânea.

“A ideia do colonizador era ter uma proeminência da raça branca, patriarcal europeia. Enquanto que a raça selvagem era sub-raça, considerada a baixo da raça humana do ponto de vista da cognição, do seu modo de vida, e das suas representações. Isso fazia que eles fossem considerados não gente, não homens e mulheres. Esses conceitos vão ser considerados verdadeiros, e isso nos preocupa muito porque precisamos desconstruir isso que ainda se perdura sobre os povos da Amazônia até hoje”, relata a professora Iraildes.

Foto: Glenda Dinely

Na mesa, estava presente também a ex-presidente e atual integrante do Conselho Curador da Sociedade de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom), a  professora Ana Maria Fadul, que incrementou a discussão destacando a importância da temática.

Honrada em participar do evento pela primeira vez, Fadul deixou seus agradecimentos pelo convite à organização do evento. Segundo ela, é um privilégio contribuir com a Folkcom que teve importância significativa na vida do seu grande amigo e colega José Marques de Melo.

“O professor Marques é o grande porta voz, afinal ele traz esse tema que é central para as regiões Norte e Nordeste. Nós do Sul do Brasil não temos uma dimensão dessa importância da cultura popular. As regiões sul e sudeste têm forte influência da migração. São Paulo, por exemplo, é uma mistura dessas culturas”, diz.

Segundo Fadul, o professor Marques de Melo sempre estará presente em tudo que for feito por seus seguidores, afinal ele deixou muita coisa e é imprescindível manter e continuar esse legado.

As atividades da Folkcom 2018 seguem até o dia 27 de junho no Instituto de Ciências Sociais, Educação e Zootecnia (ICSEZ), campus da UFAM em Parintins/AM. Para outras informações, acesse o site oficial do evento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *