41º Congresso da Intercom prepara série de homenagens a José Marques de Melo

Foto: Portal Intercom

O 41º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, organizado pela Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom), preparou diversas manifestações em nome do professor José Marques de Melo, falecido em junho deste ano. O evento, considerado o maior da América Latina na área de comunicação, espera receber estudantes, professores, pesquisadores e demais profissionais da comunicação e de áreas afins de todas as regiões do Brasil.

Como tema principal, “Desigualdades, gêneros e comunicação”, o evento será concretizado com uma vasta programação envolvendo colóquios, fóruns e mesas temáticas, além de grupos de pesquisas (GPs), Intercom Júnior e premiações estudantis como o Expocom. Segundo dados da Secretaria da Intercom, foram mais de 1,4 mil trabalhos submetidos para o evento.

De acordo com a diretora científica da Intercom, Nair Prata, a programação de homenagens será realizada em todos os eventos componentes do congresso. “O objetivo destas homenagens é destacar a importância do professor José Marques de Melo para os estudos da Comunicação, já que a trajetória dele está ligada de forma indelével à pesquisa, ao ensino, à criação de associações e ao desenvolvimento científico do nosso campo”, conta.

Nascido em Palmeiras dos Índios/AL, José Marques de Melo se formou em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) e, dois anos mais tarde, iniciou sua carreira no Recife-PE, como assistente de Luiz Beltrão, no Instituto de Ciências da Informação da Universidade Católica de Pernambuco (INCIFORM). Mas foi em São Paulo que legitimou o Jornalismo como novo campo de conhecimento, se tornando um dos fundadores da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), primeira escola de comunicação da América Latina e contribuindo significativamente na formação da Intercom, ainda no período da ditadura militar.

O professor foi também o grande disseminador da Folkcomunicação, contribuindo significativamente para a formação da Rede de Estudos e Pesquisas em Folkcomunicação (Rede Folkcom) e de suas conferências a partir do seu trabalho na Cátedra UNESCO/UMESP de Comunicação para o Desenvolvimento Regional, instalada na Universidade Metodista de São Paulo desde 1996.

Para a professora, pesquisadora e ex-diretora da Rede Folkcom, Cristina Schmidt, sua trajetória nesse campo foi concretizada graças à figura de Marques de Melo. Segundo ela, o professor teve uma atenção especial aos eventos e a tudo que se relacionava à Folkcom e é importante que isso seja mantido agora que ele já não está presente.

“Temos que divulgar e aprofundar os estudos da teoria da Folkcomunicação. Conhecer, detalhar, entender as matrizes teóricas da teoria. E, por outro lado, aproximar de novas reflexões, complementar e atualizar o conceito. Espero isso. Mas creio que será um caminho mais tortuoso. Existe muito preconceito na academia. Folkcomunicação é vista como uma disciplina menor no campo da Comunicação”, disse.

Desde o falecimento de Marques de Melo, a Rede Folkcom vem promovendo diversas manifestações. Durante a XIX Conferência Brasileira de Folkcomunicação, a primeira sem a presença do professor, os coordenadores abriram uma mesa para discutir sua vida e a obra. Agora, a fim de contribuir ainda mais na disseminação da Folkcomunicação e do seu legado, o segundo momento da 7ª Jornada Beltraniana foi inserido na programação oficial do Congresso da Intercom. Além disso, o Grupo de Pesquisa Folkcomunicação, Mídia e Interculturalidade irá homenageá-lo enfatizando seu papel no reconhecimento e na difusão da folkcomunicação.

Emocionada, a professora e atual coordenadora do GP, Maria Érica de Oliveira, que conviveu com Marques de Melo durante 20 anos, destaca a forte presença e a falta que ele deixará a toda comunidade acadêmica. “Não tem como pensar em Comunicação no Brasil, seja na investigação, nas políticas, nas culturas, na teoria latino-americana, na Folkcomunicação, sem a presença dele. Não tem como pensar na Cátedra UNESCO Metodista, Intercom e tantos outros congressos sem ele”, relata.

Amigo de longas datas, Osvaldo Meira Trigueiro relata alguns dos principais momentos que conviveu com Marques de Melo, entre eles a idealização da Intercom e, mais adiante, a criação da Rede Folkcom e das Conferências de Folkcomunicação. Convidado para participar de uma das homenagens durante o Congresso em Joinville, Trigueiro enfatiza a importância do saudoso professor em sua vida acadêmica.

“Neste momento que prestamos nossas homenagens ao mestre e amigo José Marques de Melo, eu não poderia deixar passar em branco a oportunidade de narrar um pouco do longo tempo de convivência com um dos mais importantes influenciadores de minha trajetória acadêmica, principalmente nas pesquisas teóricas e de campo”, conta.

Este ano, o 41º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação será sediado na Universidade da Região de Joinville (Univille), em Joinville/SC, entre os dias 02 e 08 de setembro. Para outras informações, acesse o portal oficial do congresso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *